sábado, 31 de julho de 2010

Objetivo .

Trace uma reta de objetivo sobre o horizonte, coloque sobre ela seus pensamentos, suas forças, suas verdades e seus pés e comece sua trajetória. Não tenha medo. Você sabe onde quer chegar, mas não sabe por onde terá que passar. Mas não preocupe-se, o caminho de outras pessoas irão se cruzar com o teu e cabe a elas decidir se caminharão ao teu lado e te ajudarão a levantar se acaso cair, cabe somente a elas decidir se seguraram suas mãos e quando você precisar, daram os seus ombros caso você queira chorar. Chame-os esses de amigos, pois eles te ajudaram a caminhar por mais que não guiem seus caminhos. De nada adianta eles tentarem tirar as pedras de sua trilha, se você não cair jamais aprenderá a se levantar. Algumas pessoas jogaram pedras em você afim de fazer você se desviar de onde você ralmente quer chegar. Eis que seus amigos se prontificaram como fortes e escudos para proteger você. Cabe à você saber se pode confiar o batante nas suas armas de batalha. Outras pessoas ainda viram com brilho intenso no olhar, apresentando a você um novo e profundo sentimento. Esses traram consigo o amor e se você tiver andado bem em seu caminho e construído uma boa base pra receber essas novas emoções consiguirá manter tal sentimento. Mas se o caminho dessa pessoa se desviar do seu, sim, talvez o destino dele(a) não seja ao seu lado. E não há porque você passar a ver seu horizonte naquela pessoa e começar a segui´la em sua rota. Se for pra ser, seus caminhos se cruzaram novamente. Apenas aproveite, amores não vem sempre e são levados rápidamente com o vento...

Bom diia à todos =D

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Sensações ~

Noite fria e amena. Calafrios, arrepios, bem-estar. Esperança vem com a Lua resplandecer chama que era algo semelhante a quase uma fagulha. E aumenta, ferve, aquece. Faz abrigo em corações também inimigos.
Momentos bons passaram-se. Cada qual com seu relevante friozinho na barriga, os quais causados por aquelas borboletas que vão passando... vão coçando... vão dançando aí dentro... Não se sabe aonde ainda, começa em cima do umbigo e vai subindo, caminham suas asas interiormente, faz cócegas na boca do estômago e volta. Ouvi-se sininhos, bagulhinhos que sempre tocam quando há esse encontro. E de repente ouvi-se além... Ouvi-se o cheiro de caricias, carinhos sinuosos. Ouvi-se até mesmo o cheirinho de lembranças boas que se assemelham a toques tão agradáveis, como aquele pãozinho quentinho pela manhã, com chocolate quente e queijo fresco, como os assovios matinais dos pardais do bosque em frente de casa, como a sensação gostosa de banhar-se em cachoeira... é bom ouvir sensações nesses momentos, dão prazer. Sentir mais também é satisfatório, é renovador. Sentir as ondas sonoras dos beijos, lábios ao encontrar-se em sua menor distância... sentir o Sol esvair-se enquanto o tempo caminha junto de toda a preocupação de voltar pra casa... sentir o som das plantas que dançam lá fora enquanto o tempo para por dentro da casa. Exalam promessas por todos os cômodos, tais vem com cheiro de 'pra sempre' e gostinho de 'quero-mais'. Não há fome. Mas há um receio enorme de demora do regresso. Ânsia, agonia. E o tempo que há muito saiu com a preocupação, não voltará e não apressará os passos para que a noite termine e finde logo esse dia. Para que então os lábios possam se encontrar em sua menor distância novamente...


_____ brincar um pouco com as palavras pra terminar o dia de boom Humor =D

Boa Noite e Maracubeijoos . *____*

sábado, 24 de julho de 2010

Espetáculo .

Talvez coincidências não existam e o destino seja impróprio para fazer vidas perfeitas umas pras outras se cruzarem entre si. Já que a vida é tão insensível aos olhos de quem ama e tão monocromática às pessoas que sentem algo semelhante ao amor, melhor que sintamos por nós mesmos a felicidade que esperamos que o destino nos dê. Porque sua própria segurança é algo que o acaso não pode em momento algum tirar de você. E embora a vida tente produzir mera circuntância de tristeza, tal fraqueza há de ser a sua mais sútil fortaleza. Basta torná-la pouco percepitível aos expectadores, a platéia não precisa saber o segredo das suas mágicas, sejam elas sorrir quando menos precisa, surpreender quando menos se espera, dançar quando não houver música e escrever poemas quando não tiver miníma inspiração. Eis que brotam os textos mais belos de aromas agradantes cujas palavras ruflam notas que soam como orquestra à corações necessitados de seu declinío e serenidade. Se o destino pérvido não tira de você sua vara de condão, que será ele para desfazer sua vontade de buscar ser feliz? Escreva sua história pensando minuciosamente em cada trecho que você findar, pois ao seu alcance não há borracha e a platéia prepara sempre sua melhor vaia para o fim do show.

Texto tirado de um dia qualquer sem nenhum tipo de inspiração '

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Empurrando um carro =]

Porque desaastres devem ser contados, logo vindos da minha vida que mais parecem desventuras em série bem engraçadas!


Bom, mas quem nunca teve que empurrar um carro na vida?! Isso é mais que normal. Mas se fosse somente isso não seria desastre, portanto não seria MINHA VIDA.

Tudo começou ontem. Na vinda pra casa a batéria do carro do meu pai estraga. Então ele deixa o carro 'dormir' na rua até que comprasse uma bateria nova. Outro dia, novas expectativas, mudanças! Meu pai volta do trabalho com a nova bateria do carro. Desce a ruazinha para instalar a bendita, coisa que não é nada difícil, já que é só trocar a velha e colocar a nova no lugar. Qualquer pessoa que tenha carro e saiba o que é uma bateria consegue realizar este trabalho. 30 minutos depois meu pai liga e pede para meu irmão descer para dar "uma forcinha". Como boa filha, sei que meu pai não pediria ajuda á uma mulher, mas, como uma boa Técnica em Manutenção Automobilística [não sou borracheira ¬¬'] eu fui ajudar.

O fato é que quando meu pai depois de muito pesar conseguiu trocar as baterias, mas após a troca descobriu que o carro estava sem gasolina - haviam roubado - então ele voltou em casa, pegou gasolina do outro carro e (depois ter bebido metade por acidente e mal uso da mangueira) posteriormente essa transferência, ele já estava estressado o bastante a ponto de conseguir quebrar a chave na ignição ( pra quem não sabe é o buraquinho onde a coloca ;] ). Então, já desistente, ligou para o meu irmão ajudá-lo a empurrar o carro até em casa.

Chego com meu irmão mais velho e indago a seguinte cena: Meu pai puto de raiva, com cheiro de gasolina fazendo bastante força onde meu irmão mais novo dentro controlava um carro com chaves quebradas e apertava o pedal de freio!

Fiz como qualquer técnica sensata faria ao analizar essa cena. RI BASTANTE!

Após os olhos do meu pai arderem em chamas pra mim e a vermelhidão de seu rosto ficar perceptível feito larva, eu decidi parar e ocupar o lugar do meu irmã no carro. Continuei rindo lá dentro e guiando enquanto meu pai e irmãos empurravam o pobre do Zé Goiaba [sim, é apelido do carro] pela rua.

Bom, pra quem não conhece, Vicente Pires é um local nada plano, e minha casa fica bem na pontinha de uma ladeira que falta fazer 90º Graus! Tipo a casinha da colina, saca? Chegando na garagem aperto o pedal do freio enquanto meu pai e meus irmãos descansavam. E eu, a lerda, deixo a chave do portão automático da garagem cair.  Fui procurar e larguei o pedal do freio. O carro foi decaindo vagarosamente e aumentando a velocidade verozmente quase pisoteando metade da minha família que não sabiam se tentavam segurar o automóvel ou saiam correndo do que já alcançava seu 40Km/hr !

Sabe quando todos berram com você e você paraliza de susto?1 Era meu estado naquele momento! Depois de retomar ao meu estado normal eu pisei no freio, parei o carro, puxei o freio de mão e comecei a procurar o controle do portão. Acendo a luz do carro e em meio a minha busca sinto um cheiro de queimado... Olho para cima e vejo a lâmpada do carro saido fumaça.

Depois de achar as chaves e empurrarmos o carro para dentro me deparo com a seguinte cena: Meu pai morrando de raiva e com o estômago embrulhando de tanta gasolina, eu rouca e sem ar de tanto rir, meus irmãos com pernas e braços doendo e um carro com as lâmpadas queimadas, baterias mal trocadas, pouca gasolina e com a ignição quebrada.

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Nada melhor que uma sexta a noite =D

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Coisa :s

Um objeto pode ser usado e reutilizado, e ainda sim que fosse material, pode ser amado pelo dono. Uma coisa não. É algo jogado as traças sem nome, nem importância. Usado na maioria das vezes para que possam deleitar-se de seu uso e deixá-lo novamente num canto. Objetos como uma caixinha, como uma mesinha de cabiceira, como um vassoura ou qualquer que fosse tem seu objetivo, serve para algo. Já a coisa pode lhe ser util uma única vez, ou até mesmo raras vezes. Mas se fosse de mera consideração não seria apenas uma coisa, teria um nome, teria um uso, seria utilizada por mais vezes, traria lembraças em várias ocasiões. Talvez objetos façam até falta em certos momentos, dependendo do mesmo pode fazer falta em variados momentos, em muitos momentos. Mas... Quem em algum minímo espaço de tempo se lembra de uma coisa?! Está certo que em determinada circunstância, o nome do objeto pode não ser lembrado e por curtíssimo espaço ser chamado de coisa. Mas tal não perde seu nome e nem seu valor por ser chamado em mísero momento de coisa. Coisas não tem valor, nem nome.
Pode então um SER tornar uma COISA ?
Pode esse ser perder seu valor e seu nome? Pode ser tratado como algo sem crédito ou impotância?
Acredito que uma das piores sensações do mundo é a de sentir-se usado e descartado. Sim, é algo como estar triste. É sentir-se incompleto, usado. É algo meio muito monótono. É se sentir uma coisa..



Só de Sacanagem
Por: Tom Zé

Meu coração está aos pulos! Quantas vezes minha esperança será posta a prova? Por quantas provas terá ela que passar? Tudo isso que está aí no ar: malas, cuecas que voam entupidas de dinheiro. Do meu dinheiro, do nosso dinheiro que reservamos duramente pra educar os meninos mais pobres que nós, pra cuidar gratuitamente da saúde deles e dos seus pais. Esse dinheiro viaja na bagagem da impunidade e eu não posso mais. Quantas vezes, meu amigo, meu rapaz, minha confiança vai ser posta a prova? Quantas vezes minha esperança vai esperar no cais? É certo que tempos difíceis existem pra aperfeiçoar o aprendiz, mas não é certo que a mentira dos maus brasileiros venha quebrar no nosso nariz. Meu coração tá no escuro. A luz é simples, regada ao conselho simples de meu pai, minha mãe, minha avó e todos os justos que os precederam. 'Não roubarás!', 'Devolva o lápis do coleguinha', 'Esse apontador não é seu, minha filha'. Ao invés disso, tanta coisa nojenta e torpe tenho tido que escutar! Até habeas corpus preventiva, coisa da qual nunca tinha visto falar, sobre o qual minha pobre lógica ainda insiste: esse é o tipo de benefício que só ao culpado interessará! Pois bem, se mexeram comigo, com a velha e fiel fé do meu povo sofrido, então agora eu vou sacanear! Mais honesta ainda eu vou ficar! Só de sacanagem!
Dirão: 'Deixe de ser boba! Desde Cabral que aqui todo mundo rouba!
E eu vou dizer: 'Não importa! Será esse o meu carnaval! Vou confiar mais e outra vez. Eu, meu irmão, meu filho e meus amigos.'
Vamo pagar limpo a quem a gente deve e receber limpo do nosso freguês. Com o tempo, a gente consegue ser livre, ético e o escambal.
Dirão: 'É inútil! Todo mundo aqui é corrupto desde o primeiro homem que veio de Portugal!'
E eu direi: 'Não admito! Minha esperança é imortal, ouviram? Imortal!'
Sei que não dá pra mudar o começo, mas, se a gente quizer, vai dar pra mudar o final!

terça-feira, 20 de julho de 2010

- Era uma Vez ... [?]

Quem disse que no mundo em que vivemos não há princesas, não há contos de fadas, não há histórias? Talvez não exista aquele tão sonhado "felizes para sempre", Talvez os princípes não sejam mais os cavalheiros que antes eram. Talvez as princesas estejam meio desorientadas. Talvez as fadas madrinhas tenham tomado férias remuneradas sem previsão de volta...
Mas as coisas realmente não estão como nas histórias.
E se a Branca de Neve acreditou no princípe errado? Se seu cavalo branco fosse emprestado e toda a história de princípe fosse somente faixada?  E se a ajuda que ofereceu aos anões não teve retorno? Talvez eles só queriam que ela fosse embora viver com o "princípe" dela e os deixasse em paz.

E se as tranças da Rapunzel tiveram que ter um reparo? Ela deve ter tido câncer depois de ter inspirado tanta poeira  naquela torre, esperando um princípe encantado que nunca chegara.
Está em processo de quimioterapia, sozinha demais para importar-se com um bom tratamento.
Tavez naquela torre não houvesse portas escadas e somente uma janela,
mas pelo menos havia uma madrasta malvada que lhe fizesse, mesmo que desagradavel, companhia.

 E se a Cinderela tiver deixado seu princípe? Talvez se sentisse melhor com uma dose de whisk já que seu marido tinha mais preocupação em agradar outras donzelas do reino, ou cantar serviçais.
Agora vê-se num bar pelas esquinas da cidade a bela princesa, alcolatra demais para deixar seu copo. Só demais para buscar melhor ajuda.



Talvez a Bela Adormecida tenha passado a eternidade esperando o beijo de seu amor verdadeiro para acordá-la. Vai ver ele não existe, ou tenha perdido muito tempo jogando futebol ao longo de sua vida e hoje está velho demais para envolver-se à um  tão caloroso e já não pode acordar tal chama em sua amada.

E se a Chapeuzinho Vermelho tiver comido todo o lanchinho de sua avó no caminho? Talvez ela tivesse com preguiça de andar demais, tenha pairado sob uma árvore e devorado toda a cesta de café da manhã que sua mãe preparou com todo o carinho para a entrega. Talvez nem existisse o Lobo Mau, e essa fosse uma descupa para o sumiço da comida. E seu maior vilão na verdade fosse ela mesma.

E se a Bela não tivesse satisfeita com sua beleza? Talvez o fato de seu pricípe ser uma Fera a incomode bastante. Talvez ela quisesse que um homem mais bonito se apaixonasse por ela também e ela prefira ser modificada clínicamente.

E se a Pequena Sereia não tiver conseguido suas pernas humanas? Talvez o princípe com quem ela se apaixonara na terra apenas a usou para conseguir fama a colocando em um aquário para encantar criancinhas. Talvez o amor prometido a ela não seje real e ela agora esteje predestinada a passar o resto de sua vida nadando para fazer com que olhares curiosos a investiguem bem.
E se a ervilha não seje mais o único problema da Princesa dos colchões. Talvez sua vida no lixão não seja como tão perfeita como ela sonhava que seria no castelo...


Talvez o "felizes para sempre" tenha se escondido em algum canto. Talvez esteja cansado de viver em lares e corações. Talvez ele precise se alguém que o encontre e o ponha de castigo para que então ele possa começar a fazer seu trabalho novamente na vida das pessoas. Talvez a pessoa que venha o encontrar não exista, talvez o resto do mundo esteja comodo demais a essa realidade para o procurar e então espera que ele apareça. Como a mágica nos contos, que já não existe do lado de fora da capa. Talvez essa nescessidade de um motivo para que todos possam sorrir está no egoísmo de sua própria gargalhada sórdida. E seus interesses não incluem sentimentos alheios de outras pessoas. Essa falta de importância torna as pessoas tão invisíveis pra elas mesmas. Esconde tanto os problemas que nosso muno sofre.
Talvez todos estejam necessitados de um pouco de pó de Pilimpimpim que os façam voar, ou aumenos uma alma mais infântil, uma inocência de criança que se importe com as feridas do mundo...
Talvez o "felizes para Sempre" não esteja escondido, talvez ele só espere que todos o encontrem juntos...




Fotos de Dina Goldstein em seu trabalho: Fallen Princess

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Jeitoo estranho de pensar :s

Estava eu escutando uma conversa muito séria entre minha mãe e minha irmã. As duas falavam sobre casamento.
Então eu arregalei meus olhos (que já não são pequenos) de tanto susto. Caramba! é o primeiro namoro sério da minha irmã ainda :o Tá que já faz anos, que eles se amam incondicionalmente e sabem que só serão felizes se forem os dois juntos. E sério, isso é lindo *_____*
Mas e as experiências?! Mas e as boas histórias pra contar no futuro?!
Eu penso diferente de todo mundo daqui, acho que sou a ovelha negra da família :s
Haa' quero ter várias experiências e histórias pra contar. Pra que no futuro, quando minha filha tiver chorando por aquele viado do ex-namorado dela, eu possa dizer: "Minha filha, no meu trigésimo quinto namoro ele fez a mesma coisa..." e eu poderei então dar bons conselhos pra ela. Imagina, como faria isso se eu casasse com o primeiro namorado?! Que conselhos daria?! Eu quero poder ter conhecimentos diversificados no amor também. Por exemplo, eu nunca namorei um japinha, um cara que falasse outra lingua, um cadeirante... E se minha filha se apaixonar por um cadeirante?! Só vou poder falar pra ela que ele anda de cadeira de rodas?!
-Foi nesse momento que levei um tapa na cabeça da minha mãe. ¬¬'
Digamos que ela não concordou muito com tudo o que eu disse. Mas em momento algum eu disse que minhã irmã estava errada... Só acho que eu quero explorar mais o meu mundinho pra me aprimorar mais em relacionamentos também xD
haushaushaushaus


beijoos dessa louca de pensamentos dispersos e estranhoos que vos fala (:

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Por Felipe Franco ' *-*

Se eu pudesse mostrar as pessoas quem é a Stephane apelidada de Many, q até hoje não sei o porquê deste nome, devido a ela dizer que a história é muito longa, eu tentaria mostrá-la de uma forma que talvez ela mesma não se veja.
Uma visão de pessoa que não necessita de um espelho à frente de seus olhos para se reconhecer como bela, Dona de um sorriso encantador, de um olhar brilhante, de uma gargalhada sem igual, que de início parece ser um pouco rude, ou grotesco, mas que após a convivência acaba se mostrando ser uma gargalhada espetacular, única, de sensualidade especial capaz de cativar outras risadas, e cada qual com um tom diferente, um timbre distinto...
Ser Many, conhecer Many, é esperar o pelo desconhecido, nunca se sabe o que virá pela frente até que aconteça. Sempre sendo improvável, mesmo quando combinado de algum evento futuro.
Por isso, digo a você e a todos que um dia ler esta carta. Você tem o poder, a habilidade de reunir as pessoas, pelo o que você é mesmo não se mostrando o quanto é. Porém, quando a flor desabrochar, poderá tomar a atenção dos olhos de todo o mundo sobre suas pétalas.


Por: Felipe Franco

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Apaixone-se *______*



video



Texto feito na aula de fisíca :x
Acho impressionante o quanto a vida pode ser perfeita e detalhada, e se ramificada em cada detalhe, torna-se altamente atraente aos olhos de quem a vive *______* Você viver os momentos bons de sua vida não quer dizer esquecer os tempos que já se passaram, talvez até você mesmo queira deixá-los de lado. Querendo ou não querendo, mais cedo ou mais tarde, todas as memórias voltam e se você não tiver criado uma base e aprendido com elas, elas irão derrubar você. Eminente desperdício pensarmos na vida como se fosse um desperdício, chorar rios e mares quando na verdade você poderia estar rido bobagens. Não há nada melhor e mais reconfortante do que valorizar a ligação daquele seu amigo meio bobo, mesmo sendo aquele dia triste onde a única ligação que queria era a de outra pessoa, mesmo estando a duas horas na parada de ônibus. Não tem coisa mais alegre que viver cada dia como se fosse o último, cada momento como se fosse próspero e cada acontecimento como se dependesse de uma gargalhada para melhorar. Se cada mínimo detalhe for valorizado admiravelmente e vivido intensamente, o próximo será ainda melhor.
"Por isso dance, dance como se ninguém estivesse vendo você, trabalhe como se não precisasse de dinheiro, corra como se não houvesse a chegada, ame como se nunca tivesse sido magoado antes, acredite como se não houvesse frustração, grite como se ninguém estivesse ouvindo, beije como se fosse eterno, sorria como se não existisse lágrimas, abrace como se fosse todos amigos, durma como se não houvesse amanhã, crie como se não existisse crítica, vá como se não precisasse voltar, acorde como se nunca mais você fosse dormir de novo, faça a próxima viagem como se fosse à última, vista-se com se não conhecesse espelhos, proponha como se não existisse as recusas, brinque como se não estivesse crescido, levante como se não tivesse caído, case como se não houvesse outra, mergulhe como se não houvesse medo, ouça como se não existisse o certo ou errado, fale como se não existisse o certo ou o errado, aprecie como se fosse eterno, viva como se não houvesse fim, prefira ser em vez de ter, sentir em vez de fingir, andar em vez de parar, ver em vez de esconder, abrir em vez de fechar [...]".
Cada mínimo detalhe é crucial para a formação da sua felicidade. É algo que está sendo plantado para seu próprio sustento e uso, por isso sua semeação é importante. Faça com que sua vida valha à pena e viva-a com júbilo e prazer :D

"Legal ficar sorrindo a toa,
sorrir pra qualquer pessoa
Andar sem rumo na rua" ♪

terça-feira, 6 de julho de 2010

Palavras, apenas palavras ♪

Guardei meu "eu te amo" na mochila, e estampei um largo sorriso na janela. Nem todos sabem dar o devido valor no que parecem a eles palavras singelas. Teci meu "eu te amo" em um pano de chão sem alento, nem todos conseguem se entrergar da mesma forma a tão profundo sentimento. Escondi meu "eu te amo" na caixinha, tranquei à sete chaves e joguei-a no mar. Nem todo pra sempre dura a vida toda, nem todos no mundo sabem amar.  Expulsei do meu castelo meu "eu te amo", entre estas minhas torres não cabem mais fantasia. Porque qualquer outra pessoa no mundo, por mais sincera que fosse, um dia mentiria.  Emiti meu "eu te amo" no vão, no fundo do meu ser, onde ninguém invada nem, em momento algum, me impeça de crescer. Deixei que meu "eu te amo" caísse com a chuva e escorresse junto toda aquela água, quem sabe assim condense e evapore com ela toda a tristeza e cada mísera lágrima. Atirei meu "eu te amo" em branda brisa de tarde fria, e por mais que meus olhos chorassem, meu coração por dentro ria. Lancei meu "eu te amo" ao vento, de onde agarrou-as um anjo de asas aládas. Quem sabe ao menos ele trate melhor essas que no mundo são tratadas como apenas palavras.


Agora sei não mais reclama
Pois dores são incapazes
E pobres desses rapazes
Que tentam lhe fazer feliz.
Escolha feita inconsciente
De coração não mais roubado
Homem feliz, mulher carente
A linda rosa perdeu pro cravo.


Linda Rosa - Maria Gadú

Namorado

Quem não tem namorado é alguém que tirou ferias não remuneradas de sim mesmo. Namorado é a mais difícil das conquistas. Difícil porque namorado de verdade é muito raro. Necessita de adivinhação, de pel, de saliva, lagrima, nuvem, quindim, brisa ou filosofia. Paquera, gabiru, flerte, caso, transa, envolvimento, até paixão é fácil. Mas namorado, mesmo, é difícil. Namorado não precisa ser o mais bonito, mas aquele a quem se quer proteger e quando se chega ao lado dele a gente treme, sua frio e quase desmaia pedindo proteção. A proteção dele não precisa ser parruda, decidida ou bandoleira: basta olhar de compreensão ou mesmo de aflição.Quem não tem namorado não é quem não tem humor: é quem não sabe o gosto de namorar. Se você tem três pretendentes, dois paqueras, um envolvimento e dois amantes, mesmo assim pode não ter namorado. Não tem namorado não é quem não sabe o gosto da chuva, cinema sessão das duas, medo do pai, sanduíche de padaria ou drible no trabalho. Não tem namorado quem transa sem carinho, quem se acaricia sem vontade de virar sorvete ou lagartixa é quem ama sem alegria. Não tem namorado quem faz pactos de amor apenas com a infelicidade. Namorar é fazer pactos com felicidade ainda que rápida, escondida, fugidia ou impossível de durar.Não tem namorado quem não sabe o valor de mãos dadas; de carinho escondido na hora em que se passa o filme; de
flor catada no muro e entregue de repente; de poesia de Fernando Pessoa, Vinicius de Moraes ou Chico Buarque lida bem devagar; de gargalhada quando fala junto ou descobre a meia rasgada; de ânsia enorme de viajar junto para a Escócia ou mesmo de metro, bonde, nuvem, cavalo alado, tapete magico ou foguete interplanetário. Não tem namorado quem não gosta de dormir agarrado, fazer cesta abraçado, fazer compra junto. Não tem namorado quem não gosta de falar do próprio amor, nem de ficar horas e horas olhando o mistério do outro dentro dos olhos dele, abobalhados de alegria pela lucidez do amor. Não tem namorado quem não redescobre a criança própria e a do amado e sai com ela para parques, fliperamas, beira d'agua, show do Milton Nascimento, bosques enluarados, ruas de sonhos ou musical da Metro. Não tem namorado quem não tem musica secreta com ele, quem não dedica livros, quem não recorta artigos, quem não chateia com o fato de o seu bem ser paquerado. Não tem namorado quem ama sem gostar; quem gosta sem
curtir; quem curte sem aprofundar. não tem namorado quem nunca sentiu o gosto de ser lembrado de repente no fim de semana, na madrugada ou meio-dia de sol em plena praia cheia de rivais. Não tem namorado quem ama sem se dedicar; quem namora sem brincar; quem vive cheio de obrigações; que faz sexo sem esperar o outro ir junto com ele. Não tem namorado quem confunde solidão com ficar sozinho e em paz. Não tem namorado quem fala sozinho, ri de si mesmo e quem tem medo de ser afetivo.
Se você não tem namorado porque descobriu que o amor é alegre e você vive passando duzentos quilos de grilos e de medo, ponha a saia mais leve, aquela de chita, e passeie e mãos dadas com o ar. Enfeite-se com margaridas e ternuras e escove a alma com leves fricções de esperança. De alma escovada e coração estouvado, saia do quintal de si mesmo e descubra o próprio jardim. Acorde com gosto de caqui e sorria lírios para quem passe debaixo de sua janela. Ponha intenções de quermesse em seus olhos e beba licor de contos de fada. ande como se o chão estivesse repleto de sons de flauta e do céu descesse uma névoa de
borboletas, cada qual trazendo uma pérola falante a dizer frases sutis e palavras de galanteria. se você não tem namorado e porque ainda não enlouqueceu aquele
pouquinho necessário a fazer a vida parar e de repente
parecer que faz sentido.


Carlos Drummond de Andrade

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Críticas :@

Se algo realmente me irrita é o fato de várias pessoas criticarem minha vida, meus sentimentos, minhas decisões e meu atual estado se não fazem ideia do que se passa aqui dentro. Imagino que visto de fora meus problemas devem ser inexistentes e minha vida uma bíblia escrita em pecados já que tantas e tantas pessoas achem errado, algumas até concordem e outras nem encontrem sentido algum ! Mesmo que eu [ e muita gente mais ] saiba que se eu continuasse no caminho que eu estava NADA iria mudar não importa o quanto eu esperasse. Hoje estaria sofrendo tanto quanto várias outras pessoas e estaria nas mesmas briguinhas fúteis, nos mesmos sorrisos sórdidos que ocultavam a minha invisibilidade de olhos imprudentes que não notavam mais que a superficialidade de um amor completamente utópico, vivido entre meias verdades e embasado em mentiras de amor. Haa' amor ! Será esse possível de ser divido entre várias partes? Mas a verdade é que as pessoas que menos encontram sentido nessa pacata vidinha, são as mesmas que hoje me tapeiam com palavras.
Todos passam a vida buscando um sentido, buscando objetivos para que possam ser alcançados. Eu não. Meus objetivos se tornaram falsidade e eu continuo na mesma trilha de erros, talvez meus erros hoje estejam até BEM maiores, já que os faço escondida dos olhares curiosos. Se nem aumenos eu mesma estou entendendo o motivo de ainda caminhar nessa mentira, o que eles conseguiriam entender? Não sou de postar meus textos na primeira pessoa, já que tantas outras pessoas entederiam mal o que eu tento dizer. Mas hoje vou tentar exprimir um pouco do que sinto, já que preciso de um abraço amigo, e de alguém que não arregale alhares quando começar a proferir minhas verdades.
A verdade é que as pessoas em que mais pomos nosa confiança, não são merecedoras de tais. As amigas que você quer tanto divir e chorar a maioria das vezes nem escutam você. Talvez não seje tão fácil assim viver. Talvez o maior objetivo da vida seje esse: perceber que você mesma é a sua melhor companhia.

Abraços Desencantados ~

algo sem sentido que se sente '

Acordei com uma vontade enorme de escrever o que eu sinto aqui. Só que ainda não sei o que é. :s E derrepente tive uma vontade imensa de escrever essa besteira aqui. então tentem não ler, okay? O RESTO todo do blog é bem melhor acreditem ;D

É chato sentir que você está só. Mesmo que você tenha certeza que não está. Mas por mais que você busque se completar com o todo o resto das pessoas que há no mundo que você chama de seu coração, a pessoa que o faz girar não está presente. E seu mundo vira noite eternamente.
É um descontentamento tão forte. Sentir-se incompleto ao mesmo tempo em que nescessita provar a si mesmo que não é preciso pedaço algum que o preencha. E a cada dificuldade que você passa vai guardando em si como se fossem farrapinhos de pano velho. Isso corrói por dentro, dói o peito, afunda sua alma até um abismo onde apenas sua, somente a sua, mente pode alcançar. Há tanto pra falar e ninguém pra ouvir. E mesmo assim você repete seus pensamentos, os mesmos ecoam dentro de ti. Nesse vão ninguém o contradiz. Ninguém te fala a verdade que você não que você certamente não quer ouvir e se quisesse repetiria a si mesmo o contrário de tudo aquilo que deseja. Pode parecer impossível, pode até nunca se tornar a realidade que você tanto deseja... Mas apenas sonhar te faz bem. E o tempo vai transformando tudo em moinhos, petrificando essa verdade que parece não mudar mais. Me deixa chorar hoje, quem sabe assim eu perceba que não é bom continuar.  Essa história já durou o tempo que deveria e os erros parecem bem mais comuns agora. Nos acostumamos com a nossa própria ausência, nos fizemos esconder as verdades, sumimos com aquele amor tão prometido e encantado. Nossas regras agora é tentar não sentir nada, ou talvez me fazer sentir exatamente o que você sente: o minímo, o indiferente. E agora esses fiapinhos de sentimentos não se remendam, por que será que eu teimo em continuar ? Tenho que mudar, preciso me libertar...

Algo mudou dentro de mim
Algo não é o mesmo
Estou jogando pelas regras
Do jogo de outra pessoa
Tarde demais para repensar
Tarde demais para voltar a dormir
É hora de confiar nos meus instintos
Fechar meus olhos e saltar

É hora de tentar
Desafiar a gravidade
Acho que vou tentar
Desafiar a gravidade
Me dê um beijo de adeus
Estou desafiando a gravidade
E você não me deixará cair!


Estou aceitando limites
Porque alguém diz que eles são assim
Algumas coisas eu não posso mudar
Mas até eu tentar, nunca vou saber
Tanto tempo estive com medo de
Perder o amor que achei que tinha perdido
Bem, se isso é amor
Ele vem por um preço muito alto!

Defying Gravity (Desafiando a Gravidade)

Beijos gripadiinhos ;*