terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Desafio ao Destino ~

Eu nunca tinha feito um texto como esse em conjunto. Adorei a experiência de ter formado o mesmo com um excelente escritor.
Agradecimentos de uma fã ao Adilson Guimarães Lima do blog Catarse .


         Há um mundo. Um mundo onde a realidade é real e nada bonita, onde as pessoas não são tão reais quanto o que sentem. Há outro mundo. Um mundo onde todos são perfeitos e cheios de verdade, injustiçados e sofredores. São vários mundos inventados sob o interesse de quem teve a oportunidade de moldá-los.
Estes mundos embora semelhantes, são apartados pela luxúria e todo o egoísmo humano. Quem o molda não se preocupa com o próximo vivente, os moradores são independentes entre si. Como se fiar-se em seu próprio comodismo fosse uma venda para cegá-los da verdade que os cerca.
A semelhança evidente para quem vê as coisas superficialmente não passa de um reflexo natural de como tudo está, porém passa realmente muito longe de como tudo é. Quem passou a pensar por si mesmo, inevitavelmente acha absurso algumas atitudes e crenças que fogem completamente à razão, que lógica? Em um elaborado estado de julgamente, pesado e cauteloso, para não causar danos a ninguém, à si mesmo principalmente. O que merece ser verdadeiro? O que é certo se não existe base existencial alguma? Usar-se-á a inteligência e conhecimento absorvido naturalmente para obter poder ou abrir mão de tudo para ser grande, como Gandhi... O que fazer? Por que viver?
Há semelhança, mesmo que a superficialidade o impeça de enxergar. Poderiamos nos ver como reflexo do outro e ao viver, trabalhar sempre por esse reflexo. Sem capitalismo para obstruir, sem lucros para contar, sem o comunismo para limitar, sem ditadura para controlar. Não é viver sem política alguma e sim deixar de viver por ela. Poderiamos viver pelo mundo. Pela brisa que nos afaga, pela chuva de nossas colheitas, pelas sementes de nossos plantios. Deixer de viver para contar o resultado  de suas obras e trabalhar apenas para que sua matéria-prima não deixe de existir.
Superficialidade... Tão injustiçada! Ela tem sido usada como base de tudo, de todas as relações possíveis. Não é base... Ela não é base, é alívio. Enquanto namorados buscam sexo, enquanto amigos buscam vantagens, enquanto relações de amizade buscam interesses, enquanto familiares buscam se afastar sendo que verdadeiramente deveriam ser o únicos a ficar, sempre estar conosco e em nós. Quando e enquanto situações como essas acontecem, e são corriqueiras inverteu-se o lugar da superficialidade com a essencia das coisas. Falta-lhes, falta-nos essencia. Falta-nos buscar o que realmente tem valor e irá fazer diferença em nós e consequentemente no mundo. Nós somos o reflexo do mundo que é reflexo de nós mesmos, de como somos e como agimos. Mas vejo hoje, vejo agora, enxergo praticamente tudo sendo acionado de acordo com os interesses individuais, abrir mão tornou-se sinal de fraqueza. Ser diferente, sinal de erro. O grande desafio é ir na contra mão de tudo que temos visto passar, queremos ser cada vez mais essencia e que a superficialidade não se perca na ganância.
Vamos na contra mão deste destino, podemos sim fazer um futuro melhor. Fome, miséria, escarsez. Esse quadro pode ser mudado se todos os reflexos trabalharem juntos em suas diferenças. Por dentro de toda essa superficialidade ainda cabe-nos os sonhos, ainda existem desejos de presentes de natal de crianças do mundo todo. Ainda há fé nos corações daqueles que desejam um futuro melhor. Essas buscam alívio em suas próprias diferenças, buscam sabedoria e discernimento de seus próprios erros, buscam confortos nos ombros um dos outros, buscam abrigo em seu interior quando não encontram em quem confiar. Daremos a essência inexistente até este parágrafo para que todos possam perceber que esse mundo novo que vos brilha, resplandesce suntuoso, sentir que o universo se faz celébre pra completar-nos.  Nosso desafio estará completo quando ninguém puder negar um sorriso ao vento e uma gargalhada ao destino . Esse mundo pode ser escrito e a caneta está em mãos. O autor dessa história? Todos nós.

Um lugar ao Sol (8)

Esquece todas essas aversões que intrigam sua mente. Deixe-se saborear por todos os bons momentos que te rondam em silêncio, mesmo que a tristeza venha aos berros e consigo a dor palpitando, tudo isso passa. Só saber escutar calmaria, porque por trás de todas as tempestades brilha um arco-íris. Lá a brisa é fresca e acaricia seu sorriso, faz companhia a alegria que você consegue encontrar em qualquer lugar. De baixo das pedras, crescendo em cada mudinha de planta, em sombras de árvores anciãs. O vento tem cheirinho de chocolate, as gotas de orvalho assemelham-se a broto de morangos, os raios de Sol dão satisfação. O esquecimento é uma caixinha de bilhetes onde o olvidar é somente anotar um papel. Lá as pessos deixam a mágoa na porta junto com os sapatos ao entrar. O sofrimento não tem razão, todos tem no café da manhã leite e pão, os filhos nascem fortes e saudáveis. Felizes e ansiosos por brincadeiras.  É um paraíso feito por imperfeições e está pousado em cada descansar de alma.

                                                                                     ~Beijos Cintilantes .-.

À Natty, minha parceira de risadas e meu local de descanso <3

Inimizades •

 Sim, porque assim como amigos são conquistados ao longo da vida, descobrimos sentimentos às avessas por outras pessoas. Isso é normal e não é apenas uma fase, acontece ao longo de uma vida várias vezes. Inimigos também são adquiridos. Desses não é necessário possuir um grande ódio, basta apenas não gostar, basta apenas ter alguma história ruim pra esquecer em relação a mesma. Ciúmes, rancor, irritação, frustração. Melhoraria se apenas sumisse. Mas de muitas inimizades podem nascer grandes amizades. Se sim ou não, só o tempo pode dizer.

                                                                                                  Só o tempo, Ok?  ¬¬
Boa tarde gracinhas *-*

domingo, 26 de dezembro de 2010

Carta a alguém que te decepcionou -

oooi estranho,
Bom, na verdade, não tão estranho assim já que sou a unica pessoa no mundo que deva conhecer você realmente. Talvez aquelas pessoas que não gostam de você devam saber uma parte do que você é, mas não completamente, não como eu conheço.
Vou começar falando dos teus defeitos que são os que mais me atingem diretamente. Você é vaidoso e é egoísta, à um tal ponto que chega a se considerar a única pessoa certa no meio de tantas erradas. Você as julga assim. Aliás julgar é uma das atividades que você mais pratica, não?  "Aquela não presta, aquela é escandalosa, não gostei do padrão daquela..." Putiz, será que todo mundo realmente necessita seguir um padrão pra atingir um aspecto positivo pra você ou elas podem ser felizes na suas diferenças? Esse superficialismo que você impõe nas pessoas que nem mesmo tu segues chega a ser um desconforto, sabendo quem você é. Do que lhe adianta a boa imagem se te falta caráter? Não seria errado montar um mundo perfeito segundo os quesitos que você não segue? Talvez o paraíso esteja muito distante de você pra você perceber que ele é formado por vários defeitos e esse mundo gira enquanto você se prende em um casulo de demonstrações fictícias. Não quero fazer parte desse mundo teu, decidi não seguir teus padrões pra poder merecer um mínimo de aprovação enquanto o seu comodismo o faz sentar para apontar o que não está no seu parâmetro de rigor.
Você é exagerado, é cômodo, perfeccionista, superficialista, ignorante e irritante.
Não é decepção, já passou a ser muita repugnância novamente e eu não acredito que tais irão mudar já que a cada momento me impressiono com o que você me pronuncia e a forma com que se faz mostrar a mim. E a forma como você não aceita a verdade me deixa de mãos atadas em meio a todo esse caos que você se nega a enxergar em você. E mesmo que eu não me faça presa e ainda sim digo sem receio algum , parece ao meu ver, ser um moleque que simplesmente não quer saber o que é ainda.


Só te desejo algo que o faça ver a verdade (Y)


Inspirado pelo blog de  Jéssica Müehlbauer, uma excelente escritora ~ 

_ Fase 1 - Descoberta

Estágio 1: Se declara, você não acredita mas no fim acaba até se assustando e achando fofo mas não retribui.
Estágio 2: Há declarações, você se derrete por dentro mas não quer se entregar tão rápido.
Estágio 3: Todos te avisam, mas você nega sentir qualquer coisa.
Estágio 4: Já era. É melhor assumir de uma vez que você se apaixonou.
Estágio 5: Demora um pouco, você enrola o coração mas se declara.
Estágio 6: Você ama, ele ama e tudo no início parece ser perfeito.
Estágio 7: O passado sempre volta, vem problemas como ex, família, bebida, sáidas e ciúmes.
Estágio 8: Nada é como você achava, não era um conto que você esperava e te decepciona.
Estágio 9: Você não consegue esquecer o que sentiu.
Estágio 10: Você descobre a porra do amor =D

sábado, 18 de dezembro de 2010

#Lacinhos

Não é que eu não acho errado continuarmos da forma que estamos. Eu só acho que não vou conseguir seguir sem você, eu só acho que sem você eu perderia meu chão e mesmo assim ainda conseguiria tropeçar, não haveria ninguém pra me levantar nessa hora. Eu só acho que meu caminho sem você não teria a mesma graça, talvez sem minhas manhãs contentes eu não teria motivos pra sorrir o resto do dia. Eu só acho que andar na rua sem segurar a sua mão não é a mesma coisa, simplesmente porque antes eu flutuava. Eu só acho que as nossas brincadeiras não teriam graça se deixarem de ser nossas. Eu só acho que ver você longe de mim não seria um motivo pra rir e ver você com outra pessoa seria um grande passo pra o fundo de algo que não tenha como subir, talvez um precipício. Eu só acho que um abraço de meros dois segundos não podem camuflar aqueles dias que ficávamos colados corpo a corpo e minha boca te servia de brinquedo, e meus olhos rodeavam seu sorriso e a gente não via o tempo passar. Eu só acho que nossa mistura não pode mais ser heterogênea se já nos misturamos tanto assim. Não é que eu não acho errado continuarmos da forma que estamos, eu só não acho certo não continuarmos juntos...

Talvez não seja nessa vida ainda
Mas você ainda vai ser a minha vida
Então a gente vai fugir pro mar
Eu vou pedir pra namorar,
Você vai me dizer que vai pensar,
Mas no fim, vai beijar
Talvez não seja nessa vida ainda
Mas você ainda vai ser a minha vida
Sem ter mais mentiras pra me ver
Sem amor antigo pra esquecer
Sem os teus amigos pra esconder
Pode crer, que tudo vai dar certo

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

~* Fábula do Encanto *~


[...]
E acordou com a cantoria dele, como tal uma serenata real. Nunca tinha recebido uma antes e nunca imaginou que se sentiria dessa forma ao recebê-la. Seus olhos brilham a sentir cada nota no fundo da alma, aparentava acompanhar as batidas do seu coração. Era contagioso, a faz abrir um sorriso e ir a janela olhar.  Tinha montado seu ninho na figueira do quintal, o céu entreluzia sobre as folhas e a brisa trazia um aroma bom de terra molhada.  Quase esquece o adeus da noite passada e todas as lágrimas que derramou sem mínima  reciprocidade.  Ele pára a serenata, entra pela janela, dá uma volta e sai. E é que estranho sentiu como se não tivesse mais só.  Foram assim todos os dias do verão. Quando brotava o sereno das nuvens, ele repousava entre os galhos da janela, nunca a deixava tão só. , Ganhava sua recompensa com água no jardim e migalhas de pão. Trazia consigo conforto e belas notas ao soar pelas manhãs e todos os finais de tardinhas. Era sempre pontual, nunca a deixava esperar, nunca quebrava um compromisso, nunca a traía. Eis que no início do inverno, como todas as aves, migrou para o sul. Ela dava adeus pela janela, dessa vez com um sorriso na face. Sabia que não era sua dona, tinha certeza que um dia ele iria, ele foi. Desta vez ficaram só as boas lembranças e doce auxílio que lhe trouxe no seu momento de fragilidade. Acontece que ela descobriu o segredo de amar e não sentir dor, basta saber que um dia tudo se vai e como o Sol não tem ciúmes da Lua por todas  as noites ela ser tão amada por saber o quanto ele brilha e aquece, ela tem certeza que hoje brilha também. E aguardará até o próximo verão para outro pássaro chegar e plantar serenatas em seu quintal.

Pro Leitinho, dono da minhas inpirações da semana *__*

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

... '

Ando meio triste comigo mesma, tenho levado uma surra do destino, compartilhando comigo os erros que eu mesma cometi. São todos conseqüentes dassas opções que eu tive que tomar. não me sinto satisfeita, mas tenho feito o máximo pra manter minha cabeça erguida. "Mantenha a fé"; "Siga em frente"; minha conciência tem sido caridosa comigo, mesmo tão pagã. em um momento joga em meu rosto o entrelaço das faltas que eu cometi, depois me defende de mim mesma, me levanta, junta meus cacos estarrilhados do chão e me pede pra continuar. É dificil andar no escuro, se a luz que me guiava hoje não segura mais a minha mão. Pior ainda é viver do vão e das fagulhas que passam pelo túnel e nunca seguem a mesma trilha que eu. Insegura ? Não, apenas acostumada a ter um colo com quem possa descançar nas noites de virgília. Não há apoio e meus pés se cansam de viver em base das mentiras que eu crio pra ter a completa certeza que vai ter apenas uma fagulha acesa sempre. Esta não vai me guiar, nem me esquentar, tão pouco me ajudar a enxergar melhor, mas com certeza enganará-me-ei com ela até achar que assim eu me sinto um pouco melhor.

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

#Lacinhos

Inconstância. Talvez esse seja o exato momento que a mente trafega entre o infinito e  o inevitável e essa seja a química que faz o tempo parar: a eclosão de desejos insanos, impuros, cobertos de amor obsessivo e pouco surreal. O encontro de um vértice e um furacão. Contrariedade que proporciona prazer e aumenta a paixão no instante em que os olhos se cruzam, os lábios clamam um encontro e os corpos imploram por um beijo. A mistura de um jogo de sentimentos com um álibi carnal  
que apenas vive pela insegurança de se entregar inteiramente.

Pouca Carência '

                           Virou obsessão. E agora é difícil viver sem esse sorriso de todo dia e suportar a idéia de que este não é mais MEU. Pior é saber que o que era minha fonte de alegria e inpiração hoje respira em função de outros olhos. Logo eles que paralisam ao se cruzar com o brilho dos teus que já não cintilam pra mim vidrada, como se fosse quando se para, fica olhando pra um lugar mais sua cabeça esta em outro lugar. É assim que eu me sinto olhando nos seus olhos.  Me perco completamente em sonho de uma reciprocidade que não existe na nossa história. Minha história, que se baseia em apenas sonhar e se iludir com o inexistente, agora só.  Me sinto carente, nostalgiada e fraca de pensar por um segundo que perdi você. Além que, por mais que eu tente fugir e esquecer, algo me prende e me faz voltar. Talvez seja esse  brilho tão intenso que eu penso que exista nos teus olhos pra mim e quando eu volto percebo que é somente o reflexo dos meus...


Ao Renato, fiel leitor que um dia ainda consigo traduzir seus sentimentos ~

domingo, 21 de novembro de 2010

▬ Além...


das dificuldades, que eu possa ter você. Que além de tudo o que passamos, eu ainda possa sonhar pra ti o melhor. Que acima de tudo você eternamente seja este pedaço que pode me completar, porque eu sei que cada mínimo defeito seu é o que faz você se encaixar em meus pedaços e não é preciso mudar mais nada. Por mais que vá embora, não há mais aquele medo de perder, não por falta de amor, ou desmazelo, ou por poucos vestígios do resto de atenção que sobrou em nós. Eu sei que volta, sempre volta. Nessa história não há adeus. Nossas lágrimas já falaram demais entre nós dois e tantas vezes o sorriso perdurou em nossas faces. Acredita que eu ainda guardo algumas cartas que eu escrevi para você? E que até hoje nossa trilha sonora às vezes toca no rádio? Me abre um pequeno sorriso... Me faz lembrar... Talvez algumas batalhas nossas tenham sido em vão e alguns breves instantes de silêncio deveriam ter se traduzido em palavras. Outras palavras seriam melhor que nem tivessem existido. Separações somente nos fortaleceram, hoje poucas delas são lembradas, foram tantas, doeram demais. De antemão eu te digo adeus, não por querer ir embora, nem por falta daquilo que um dia nos uniu, mas pela certeza de que vou voltar...

domingo, 14 de novembro de 2010

☼ Recordações

E o céu assopra.
 A brisa que chega acaricia seu rosto e seca veemente suas lágrimas,
dá-lhe uma gota de confiança,
 afaga sua alma e chega até a acalmar,
 mesmo que ainda pouco, seu coração.
 Observa o céu.
Ele resplandece suntuoso e reluzente,
brilha como em conseqüente de mil sóis.
Nunca reparara algo tão lindo em momentos felizes,
 sente que hoje o infinito se faz célebre para te completar.
 Relembra e sente a tempestade que se forma por dentro,
 sente o palpitar entre raios tornar-se mais forte, mais potente e isso dói...
E novamente insistente gota d'água da enchente que se fez no interior transborda pelos olhos.
Você sabe que não adiantaria, você não poderia, você não devia chorar!
Repugne a idéia de mostrar que sofre, sente falta e daria tudo por aqueles tempos.
E que tempos... Ilusórios [?]
Você lembra de que um dia sorriu e foi feliz de uma maneira
que nem você sabia. Era tudo perfeito.
As brincadeiras não cessavam, o mundo não parava
melhor ainda que parasse. O tempo estava agradável ali.
Arrepios surgem, não por frio, mas por desconforto.
Estas lembranças não te fazem bem.
As risadas não existem mais e hoje só por pensar que está só,
lembrar como tudo se denegriu e morreu, como não há como voltar
a enchente que havia em ti torna-se uma inundação alagando sua face.
A brisa parece ser caridosa, vem lhe chamar a atenção novamente
Traz consigo aquele fio de esperança que abre um sorriso meia boca.
Ela cochicha e clama, fecha os olhos e escuta:
"Hoje você sente falta não só de tudo que passou
mas também das matrizes que montou de um futuro que foi perdido,
mas o céu te alegra somente por brilhar
Brilhe todos os dias e se torne a alegria da vida de alguém
Monte cada dia de sua vida um novo futuro, porque se o amanhã já passou
um futuro foi com ele, vários estão por vir."

                   Aí se encontra a felicidade ~

Beijos Cintilantes de uma admiradora desse  esplendor aéreo *-*

terça-feira, 2 de novembro de 2010

- Mentiras

Somente palavras e entre elas a vontade de satisfazer a quem se ama. E acima de todas essas vontades a necessidade de se satisfazer. Um ego humano acima do proporcionado pela vaidade de se sentir completo por si só. Os elogios só aumentam sua obsessão por possuir sempre mais e ouvir mumúrios e promessas de sentimentos eternos alimentam essa fome de ter mais.
Seu amor é surreal e suas mentiras demasiadas. Machucam. Ferem. Afasta o que seria o amor sincero e eterno de três anos. Foram lutas, escapes, dramas, lágrimas. Todas as palavras escritas com amor e borradas em lágrimas de mentiras.

Não é irônico? Nós ignoramos quem nos adora e adoramos quem nos ignora; amamos aqueles que nos machucam e machucamos aqueles que nos amam. 

Voltas .

Frágil. Ela quer ir embora, quem sabe até pra se encontrar. Ela quer fugir, mudar. Sentir que alguém sente sua falta e conta cada segundo para a ter de volta.
Mas tantas vezes ela fugiu, teve que voltar. E entre tantas idas e vindas se machucou, o bastante para não querer mais esse caminho. No entanto há uma guerra dentro de seu ser, metade da moça ama com toda a emoção que um coração pode proporcionar e voltaria quantas vezes fossem necessárias. Metade dela ainda sente rancor e com toda a razão e não quer jamais ter que depender de algo que parece sofocar.
Intrigante, quanto mais ela sofre, mais ela ama.

sábado, 23 de outubro de 2010

Heey . Wake Up !

Umas das tarefas mais árduas do dia é com certeza acordar cedo. O corpo aparenta pesar várias toneladas, a cabeça dói e olhos olhos imploram para continuarem fechados. A cama parece bem melhor e lutar contra todas essas forças parece ser impossível. Então o que fazer?
haushaushaus'  Bom, continuar na cama não é uma opção viável para o descontentamento dos meus leitores.
Que tal mudar essa prática e torná-la pouco mais prazerosa?
Acorde com um grito no travesseiro, dê um pulo para levantar da cama que parece te segurar de todas as maneiras, se alongue para usar seus 'músculos de abraçar' durante o dia, faça caretas em frente ao espelho enquanto se arruma e já que você tem que acordar de qualquer forma porque não continuar sonhando acordado? *____*

Talvez você possa fazer de cada momento um pouco mais feliz, até mesmo a hora de acordar =D

#Lacinhos


Vontade de desescrever tudo que um dia eu escevi, vontade de mudar um pouco mais de mim, sair das rédias, esquecer as regras, deixar tudo acontecer. Vontade de fazer com que o natural se torne algo impossivel, quem sabe assim as impossibilidades não existam mais. Quero o lirismo dos loucos fazendo minha cabeça tão quanto Manoel Bandeira. Hoje estou afim de me precipitar, de andar no parque sobre os bancos, até chegar na China e dar a vonta por lá. Está mais do que na hora de sair dessa monotômia de um cotidiano igualitário.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Criancice '

Ser criança pode ser a melhor fase da vida, donde dela todas as histórias, lembranças e até mesmo aquilo que aprontamos fica sempre na memória. Não há quem não sonhe viver na Terra do Nunca pra não sair jamais dessa idade.  Quimera se não fosse somente um sonho bobo. 
Eu decidi não crescer. 
Optei por mim mesma que jamais deixaria que as rugas interferissem no meu humor, minhas dores na coluna não me impedissem de pular e sair e que todas as pessoas do mundo não me persuadissem a ponto de eu querer crescer e me padronizar de rancor e egoísmo.
Eu quero essa praticidade toda de receber e doar, quero esse dom de nunca enraivecer, quero que meu coração seja puro o bastante pra poder confiar que no mundo ainda há, mesmo que pouco, amor.
Minha mãe é a primeira a pensar na tolice dos meus desejos, não me importo nem um pouco. Decidi e está decidido. Não crescerei. Amadureci bastante, aprendi muito, mas continuo criança de tudo. 
*____*
E já que não posso ganhar presentes dos meus pais mais por não ser bebê pra eles decidi fazer os meus.
Esse ano vários doces de bandeja pra comer, satisfazer e enjoar.
Há de ser pra sempre realidade essa minha vontade (L'

Brincadeira de criança, como é bom *Q*

#Lacinhos



E afim de que essa história possa ser cumprida e finalmente possuir um final, seja ele de seu agrado ou não, decidiu. Por entre derrotas que machucaram, cortaram e marcaram cicatrizes, essa solução fez chorar. Afinal, a desistência é para fracos e a fragilidade já não é optativa. 
Mas corroer-se aos poucos, ferir-se parceladamente até que não sobre sangue para gotejar é a auto destruição do mesmo. Perder-se sem procurar a cura é suicídio. 
E já tentou-se por milhares de vezes tê-lo, esquecê-lo, tratá-lo como amigo.
 Tudo inválido.
 Melhor somente anular a questão. 

sábado, 16 de outubro de 2010

Lá de cima...

               E ela começa a voar.  Sobre montes altos de sonhos, altos demais pra alguém ter a ânsia da coragem de escalar. Ao seu redor, ventos e trepidações o suficientes para derrubar um helicóptero antes mesmo que o aviste. Desse monte ninguém pula de asa delta e para-quedas nenhum nunca passou por lá. As nuvens que o tocam não são de algodão, são de açúcar. A menina agora repousa  nas colinas, entre a da felicidade e a da confusão.  Aquela grande e tão falada colina do amor ainda está escondida entre seus declínios. E a moça já passou por tantas delas, várias até chegou a confundir com o amor. Dentre estas, descobriu o nome de ilusões, fica duas léguas depois da mentira.  A felicidade se encontra logo ali, é mais perto do todos pensam, porém difícil de chegar...  Fica perto dos caminhos do engano, do ladinho da gruta da solidão, perto do bosque da tristeza. é fácil errar a trajetória, e cada passo é válido, não pode dar moleza. Eu cansei de ficar parada, continuarei a voar, alçarei minhas asas, sigo dignamente agora. A brisa toca meu rosto suavemente, vejo lágrimas em vários caminhos, e há lugares com tempestades, raios e trovões. Outro porém, tem um céu cintilante com um Sol adiante. Me chamou atenção um ser com asas coloridas, pousarei por aqui. Suas asas me abraçam, me fazem sentir melhor, serzinho que me faz rir, que brilham seus olhos e quase me fazem derreter. Me entrega uma flor que acaba de tirar de uma árvore, me dá um beijo no rosto, sinto um calafrio. Então reparo, eu pousei na colina do amor e sem perceber a felicidade encontra-se no mesmo lugar.

(())

Boa Noite aos meus sonhadores e Viajantes *--*

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Desastrosamente Many --'

Há coisas na vida que são cômicas. Acontecem com todos, acontecem quase sempre e não há escapatória. Assim como num engarrafamento, a faixa ao lado sempre anda mais que a sua e detalhe: não adiante trocar de faixa! Ou como trancar um cadeado qualquer com a chave dentro. Coisas assim embora cômicas são comuns.
Mas eu sou sou a ironia em pessoa e consigo trazer mais que a 'comicidade' comum diária.
Essa semana tem feito muito calor por aqui, mas é um calor intenso quase insuportável. Acho que onde eu moro podia se chamar "estágio para o inferno" ¬¬' Enfim, decidi que um suco amenizaria meus problemas porém minha persistente preguiça vetava qualquer ato que exigisse grandes esforços, mesmo que esses sejam bater polpas de frutas. Fui ao armário ver o que poderia então fazer e pela primeira vez encontrei na gaveta suco de saquinho *______*
Estavam resolvidos meus problemas de ânimo e coragem. Preparei a água, misturei ao suco e mexi. A vontade do esperado suco era tanta que só fui sentir seu real sabor no terceiro copo, quando comecei a sentir pequenas 'bolinhas' na boca. Parei e olhei o que eu estava bebendo com bastante atenção e quando eu vi:
DROGA! ERA GELATINA! ¬¬


Ao Mateus Borges Veras, que deu 'pala' de tanto rir de mim. --'

#Lacinhos


Sofrer por consequência da demasia de seus problemas é bem fácil. Difícil mesmo é reparar naqueles que possuem tão pouco que dariam tudo pra ter o que você tem e têm tantos problemas a mais que gostariam realmente de ter os motivos das tuas lágrimas em troca dos problemas que possuem e mesmo assim quase nunca choram. É penoso perceber isso, mas sua vida é perfeita e um dia você sentirá falta dessa fase, por isso aproveite o máximo que puder! 

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

#Lacinhos

São coisas que merecem ser lembradas, muito fácil dizer eu te amo quando no fundo não sente nada. Muito facil guardar corações e amores na reserva, para carregá-los onde se quer de forma tão medíocre. A mentira corrói, mas o praticante nada sente, dá até satisfação, dá prazer. Belo hobby brincar com aquilo que só o outro sente..
(Y)

entre sapos, príncipes e cavalos.



Sabe, não foi por falta de tentativa. Vários sapos foram beijados, acho que até cavalos, bois e as espécies mais brutas imagináveis. Foram vãs. O príncipe -se existe mesmo- até hoje está perdido por aí. Está certo que essas histórias de contos de fadas não existem, mas tudo bem, eu não faço uso obrigatório de um final feliz, além do mais felizes são as histórias de amor que nem tem um final. Está okay' eu aprendi que todos tem seus devidos defeitos e eu não espero realmente que meu amado princípe não tenha os seus... Disseram-me que além de tudo o certo é esperar que a pessoa certa entre em nossas vidas e mudem nossa história... Mas porra, que demora, hein?  Acho que já está mais do que na hora do meu princípe esquecer o cavalo branco dele que já está mais do que velhinho e comprar um carro novo porque esperar ele a vida toda nem bela adormecida ><
Talvez nem seja o seu cavalo, jegue ou burrinho nivelado o motivo do nosso desencontro. Quem sabe meu sapinho passou e eu nem me dei conta de que ele esteve do meu lado ao menos uma vez... Acho que meu sapatinho de cristal nem está brilhando o bastante, ou talvez já tenha passado da meia noite e eu nem conseguir a esperada dança do baile. Vai ver que a gata borralheira não é suficiente pois ele se interessa bastante por mulheres, farra e vinhos. Será que ele realmente sabe que eu existo por aqui? Será que a estrela mais abrilhantada do céu lembre a ele meu sorriso? 
Bom, se apenas souber ler as minhas palavras, meu sapinho, meu beijo te aguarda ;D 

haushaushaushas' 
Boa noite Sapos e donzelas .

sábado, 2 de outubro de 2010

ôoh Morena ♫

não sei se sou tão mal
nem sei se sou tão ruim assim
pra me deixar apaixonar por essa morena
pequena, faz o que bem quiser de mim.

Não sei o que fiz de errado
pra me deixaar ser tão facilmente levado
Por essa menina morena
pelo seu gingado e rebolado.

Ôoh menina passa aqui na minha rua
me deixa ser seu Sol, seu Céu e tua Lua
Ai que me dera poder ter você pra mim toda nua

Ôoh minha princesa, vem mudar o meu viver
me deixa provar um pouco do seu jeito de ser
Pra que eu possa amar você

E essa morena sobe o morro
com saia de chita rodada
Penso comigo: "Meu pai,
Essa é o simbolo dessa nossa pátria amada"

A tardezinha no samba
Essa menina treme e dança faltando enlouquecer
A platéia aplaude e agita
Eita se um pouquinho daquele paraíso Deus pudesse me conceder.

Ôoh menina passa aqui na minha rua

me deixa ser seu Sol, seu Céu e tua Lua
Ai que me dera poder ter você pra mim toda nua

Ôoh minha princesa, vem mudar o meu viver
me deixa provar um pouco do seu jeito de ser
Pra que eu possa amar você

()

um abraço .

Aquela vontade de ser guardada no fundinho de um ser, de sentir a brisa e se deixar levar por aquele pequeno assopro mágico... Sim, quem dera que ele pudesse carregar pra longe onde o vento pousa junto com os pássaros mais felizes e as borboletas mais coloridas do céu. Lá elas dançam o canto dos pássaros e fazem ninar...
Ah, que sonho voar... me sinto mal. Um pouco decepcionada comigo mesma por não conseguir passar tudo isso pra palavras. é como se minha mente quisesse se distanciar o máximo possível do meu corpo e de todas as formas físicas que pudesse encontrar por perto. É algo parecido a vontade de ficar invisível, mas uma invisibilidade diferente. de tal forma que além de não ser vista eu não pudesse escutar mais nada - nada que eu tenho escutado me aparenta ter um senso mínimo de sinceridade -, não pudesse ver mais nada - tudo que eu vejo me faz sentir pouco mais reduzida a pó -, não pudesse também sentir nada. Somente a ultima opção já me bastaria e me deixaria bem menos confusa. Não, não é que seja atos de confusão, na verdade meu coração sabe muito bem o que quer, eu tenho certeza de tudo que eu sinto, por isso realmente não me sinto nada bem. Dessa vez sem palavras dificeis, minha angústia me consome de um jeito inexplicável. Não há paciência o suficiente para que eu possa pensar em palavrinhas bonitas ou a sintaxe correta das frases. Quero apenas extrair tudo isso de mim até que não sobre mais nada, até que não reste mais motivos pra chorar, até que eu me afogue em pensamentos felizes novamente. ECA! Senti um nojo das mascaras que eu costumo sempre usar hoje ><  Aquela que uso pra sorrir é a que mais indigna, acredito que pelo simples fato dela não ser real me rebaixa a zero. Não quero saber se fui trocada, não quero saber se há pessoas no mundo que não gostam de mim, não quero ter que assumir conseqüência dos meu atos e  por ultimo não quero sentir ou sofrer!

E se não for pra me abraçar e me fazer sentir melhor por uns instantes até que o mundo suma, não se aproxime!

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Faces Nulas

Milhares de rostos a minha volta que não praticam nenhuma expressão, são tais eles como bonecos, não há ações, não há sentimentos, somente há o que se pode ver e denotar no mesmo instante: faces...Sem rumo, ou destino, ou qualquer vestígio de tristeza ou sincera felicidade. Elas falam e falam, mas não há o que ouvir. São palavras ditas da boca pra fora, são gestos feitos com simplicidade ou exagero demais. Nada é natural, tão pouco real. O que poderiam tais corpos dizerem? é melhor nem ouvir, deixe que a música soe alto a ponto de não escutar mais ninguém, aparentam ter mais expressões assim. O mundo parece passar mais devagar quando, num segundo, ponho minha máscara de observador e recolho-me ao meu próprio infinito. E observo... Denoto cada movimento que foi exercido em vão, as palavras ditas que no instante seguinte serão esquecidas por aqueles que as ouviram.
Eu posso sobreviver diante de faces tão vazias, e esta segue com minha completa sanidade. Somente basta que de tempos em tempos, eu venha submergir em meu interior e sentir... Para que o que é sensível por dentro não seja esquecido e acabe transbordando pra fora. A reflexão controla, entende e diagnostica. Não há como se decepcionar com alguém se nada espera dessa pessoa, afinal, ela é apenas mais uma face.
 [...]

Me Ensiina ...



ser melhor. Me ensina a deixar esse meu egoísmo do meu eu, me deixa dividir um pouco de mim com você. Me ensina a não andar com os pés no chão, me ensina sonhar mais do que viver a realidade, me deixa criar lembranças de futuros deliciosos e impossíveis. Me ensina a perder o controle e escolher deixar minha lucidez de lado, já aprendi que sem minhas doses desse amor nada vale de mim toda a razão. Ah, me deixa enlouquecer um pouco então, eu gosto tanto quando aprontamos juntos em nossas pequenas aventuras... não sei exato o porque, mas andar de mãos dadas com você já é viver intensamente. Me ensina a tornar simples momentos os mais complexos, inesquecíveis e admiráveis *--*
Dentre todas as coisas que eu te peço, das que eu aprendi a mais importante é a certeza de que você é capaz de fazer todos esses devaneios reais...

Beijoos Sonhadoores ~

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Comece por um Adeus *--*

O tempo não para, mas quem dera que esse desejo realizasse *-*
ele continua passando mesmo que agora pouco mais devagar. Talvez seja pelo simples fato de uma singela comparação entre este e o pulsar rápido de corações, conseqüente de um abraço que poderia durar eternamente, quimera seria se durasse eternamente, meu sonho seria que durasse eternamente. E quem diria que isso seria sentido depois de tanto tempo, dizem que o pior fim é aquele onde a história termina com um adeus. Talvez as pessoas estejam sádicas a ler a continuação da mesma para não perceberem que o Adeus é na verdade o início da mais bela história de amor. 
E bom sentir-se refrescar com a pele do outro, donde todos os poros formam um só. 
É bom poder confiar você mesmo por inteiro, com aquela certeza de que é a coisa certa a fazer, e por mais que aquela incessante voz possa te atordoar ao pé do ouvido dizendo que você pode se magoar, você paga pra ver e prefere arriscar. Talvez pela simples vontade de conhecer o outro, talvez pela necessidade de explorar mais esse sentimento, talvez por este talvez...
Mas que dane-se o futuro, ou aquelas curiosas bocas e olhos que tentam entender essa história sem ler os sentimentos nas entrelinhas. Se lessem poderiam dar-se conta da felicidade que isso traz as pessoas que vivem tal história.
Melhor jogar tudo mesmo ao ar e deixar-se navegar aereamente -sim, aereamente - somente você tem o pincel e a tinta pra poder criar novo fim. 
Bastou começar pelo Adeus ~

Boa noiite a vocês.

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

#Lacinhos

Orgulho [minha face]
Pode ser considerado até bastante triste, o fato de não dizer o que se sente quando tanta coisa machuca e corrói. Pode ser besteira, parecer fragilidade mas eu vejo disso própria fortaleza. Sei que não há motivos pra chorar e por mais que se sinta mal demasiadamente, pior seria se sentir bem, vivendo em tendas de mentiras que outras pessoas se tragam de prazer, mas quem está do lado de fora vê: são aqueles que se pronunciam em eterna sinceridade que sofrem sem saber, aqueles que dizem a verdade, que retratam o que sentem. Melhor não dizer e viver a verdade, melhor não flutuar em sonhos e viver veemente na  própria angústia. Pode ser doloroso mas é real...

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Eu não Padronizado

Tenho que mudar meu jeito de falar, de andar, de vestir.
Tenho que mudar meu jeito de comer, de escrever e interagir.
Disseram pra mim que eu sou todo errado
Deve ser porque tenho um jeito só meu de ser.
Lá fora todo mundo é padronizado
Nem diferenças podem ter.
Disseram que minha postura está errada
E que eu tenho que corrigi-la também.
Mas veja só, não corrijo nem minha namorada
Que na minha vida é mais que certo alguém.
Disseram-me também que a velha gramática
Não condiz com o que eu escrevo.
Nunca cheguei a conhecer a tal da velha sádica
E ela vem se intrometer na vida que não é de seu acervo.
E pra me aprontar um pouco mais
Disseram que eu tenho que me preocupar com os problemas da pontuação.
Mas olhe que nem pros meus que são de próprio interesse
Eu tenho encontrado solução.
Minha vontade é de encontrar a dona etiqueta
Não sei nem quem é, mas vive pegando no meu pé a danada.
É só eu sentar pra comer na mesa
Que me dizem que, do que eu faço, ela não permite quase nada.
E eles vêm tentando me empurrar um padrão
Que deste eu não tenho a menor vontade de seguir
Como muito bem ensinaram meus pais, o que importa é o que eu tenho no coração
E a garra e a coragem pra nunca desistir.
Quem são eles pra me dizerem o que eu devo ou não fazer
Se nem mainha, que foi quem me pôs nesse mundo, manda mais em mim.
Deixe que minhas histórias sozinho eu posso escrever
E mesmo que só eu consiga entender, já está de bom tamanho assim.

domingo, 15 de agosto de 2010

Lembranças de algo ruiim :s

            Post pedido por Daniel Rocha, Garoto engraçado da mente  fértil' -.-

    Antes umas viradas de vodka, energético e algo do qual eu não faço a menor idéia do que fosse, mas deixava um sabor doce muito bom na boca. Antes umas cheiradas ruins em 'acetona', cuidado com quem já estava ruim e mais daquela bebida doce e saborosa. Antes olhos que me lembravam momentos bons e tristes, que me negavam bebida, que tinham medo, que ainda se importavam por mais que negassem, e pouco mais daquele gostinho doce que parecia me deixar melhor, me fazer esquecer.
    Depois, sobram só flash's, lembranças de um momento muito ruim. Lembro de rir bastante, lembro de finalmente esquecer, lembro de cair várias vezes, de gritar sem razão, lembro de ser muito bem cuidada por um menino que eu chamava de Orlando [não faço a mínima de onde tirei esse nome], lembro de abraçar e sentir a raiva e as lágrimas de quem eu acreditava que nem mais me amava, mas dizia que eu tinha mentido e aquele cheiro insuportável de cigarro. Lembro que depois disso tudo ficou pior. Lembro apenas que chorei.
    Sou agora parte de uma enorme nostalgia. Sei do que sinto, mas infelizmente é a única coisa de que realmente sei. Sinto algo embrulhar meu estômago, mas não sinto fome em momento algum. Sinto que não importa quantos comprimidos e chá eu tome, nada vai sarar minha dor de cabeça. Sinto que, por mais que eu me desculpe,  nada vai me deixar menos envergonhada nem fazer as pessoas esquecerem. Sinto voltar a amar da mesma forma que eu amava, mas não vejo tal sensação como coisa boa :s
                     Somente sei que depois de tanto, eu quero sumir'


___________________________________________________________________________________________________








Pouco nada a ver '

Se a gente não tivesse feito  tanta coisa, se não tivesse dito tanta coisa, se não tivesse exagerado a dose, podia ter vivido um grande amor. Se a gente não dissesse tudo tão depressa, de não fizesse tudo tão depressa, se não tivesse exagerado a dose podia ter vivido um grande amor. Um dia um caminhão atropelou a paixão sem seus carinhos e sua atenção. O nosso amor se transformou em 'bom dia'. Qual o segredo da felicidade? Será preciso ficar só pra se viver?  (8)

Kid Abelha

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Shiii... Apenas em rascunhoos ' :x

     E somente essas páginas salvam as frases e sentimentos que tento traduzir em palavras.
Está certo que tais são feitos somente para senti-las, há quem diga que somente existem para que poderem ser demonstradas. Demonstradas ?! Sentimentos nulos podem ser transmitido falsamente a qualquer pessoa, é preciso apenas controlá-los. Enganar é muito simples, talvez mais simples até que deixar-se sentir a verdade que seu coração quer 'demonstrar' e acreditar em algo que possa ser tão superficioso e siníco não faz parte do meu cotidiano. Talvez só esteja esperando das pessoas do 'mundo de fora' o que seriam consequência de atos propriamente meus. 
Confundir sentimentos, aperfeiçoá-los até. Parece, ao meu ver, um jogo bem desafiante, onde é nescessário uma grande estratégia pra poder alcançar qualquer vitória. Lutar contra dragões de lágrimas, intrigante vastidão de desejos e prazer, criar sobre o precípicio meu próprio paraíso. Afinal, meu troféu, qual seria? Esconder sentimentos, criar alguns, confundir outros devem valer nem que seje vários corações amordaçados, entregues em bandeija de ouro de ofir.
São essas as consequências de acreditar, pois até amar tem seu prejuízo.
Creer nisso é algo forte demais para mentes fracas e vãns. Não que não exista. Mas demonstrar o que há de mais belo e perfeito no universo precisa de um pouco mais de calma, tamanha calma que nosso ansioso coração não é acostumado a usar como prevenção.
E disto sobram apenas saudades...
Esta pressuposta pela vontade de ter algo que você simplesmente não pode ter no momento.

Sobram apenas saudades e palavras em folhas de rascunhos.'

Beijoos desencantados e Boa noite =D

sábado, 31 de julho de 2010

Objetivo .

Trace uma reta de objetivo sobre o horizonte, coloque sobre ela seus pensamentos, suas forças, suas verdades e seus pés e comece sua trajetória. Não tenha medo. Você sabe onde quer chegar, mas não sabe por onde terá que passar. Mas não preocupe-se, o caminho de outras pessoas irão se cruzar com o teu e cabe a elas decidir se caminharão ao teu lado e te ajudarão a levantar se acaso cair, cabe somente a elas decidir se seguraram suas mãos e quando você precisar, daram os seus ombros caso você queira chorar. Chame-os esses de amigos, pois eles te ajudaram a caminhar por mais que não guiem seus caminhos. De nada adianta eles tentarem tirar as pedras de sua trilha, se você não cair jamais aprenderá a se levantar. Algumas pessoas jogaram pedras em você afim de fazer você se desviar de onde você ralmente quer chegar. Eis que seus amigos se prontificaram como fortes e escudos para proteger você. Cabe à você saber se pode confiar o batante nas suas armas de batalha. Outras pessoas ainda viram com brilho intenso no olhar, apresentando a você um novo e profundo sentimento. Esses traram consigo o amor e se você tiver andado bem em seu caminho e construído uma boa base pra receber essas novas emoções consiguirá manter tal sentimento. Mas se o caminho dessa pessoa se desviar do seu, sim, talvez o destino dele(a) não seja ao seu lado. E não há porque você passar a ver seu horizonte naquela pessoa e começar a segui´la em sua rota. Se for pra ser, seus caminhos se cruzaram novamente. Apenas aproveite, amores não vem sempre e são levados rápidamente com o vento...

Bom diia à todos =D

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Sensações ~

Noite fria e amena. Calafrios, arrepios, bem-estar. Esperança vem com a Lua resplandecer chama que era algo semelhante a quase uma fagulha. E aumenta, ferve, aquece. Faz abrigo em corações também inimigos.
Momentos bons passaram-se. Cada qual com seu relevante friozinho na barriga, os quais causados por aquelas borboletas que vão passando... vão coçando... vão dançando aí dentro... Não se sabe aonde ainda, começa em cima do umbigo e vai subindo, caminham suas asas interiormente, faz cócegas na boca do estômago e volta. Ouvi-se sininhos, bagulhinhos que sempre tocam quando há esse encontro. E de repente ouvi-se além... Ouvi-se o cheiro de caricias, carinhos sinuosos. Ouvi-se até mesmo o cheirinho de lembranças boas que se assemelham a toques tão agradáveis, como aquele pãozinho quentinho pela manhã, com chocolate quente e queijo fresco, como os assovios matinais dos pardais do bosque em frente de casa, como a sensação gostosa de banhar-se em cachoeira... é bom ouvir sensações nesses momentos, dão prazer. Sentir mais também é satisfatório, é renovador. Sentir as ondas sonoras dos beijos, lábios ao encontrar-se em sua menor distância... sentir o Sol esvair-se enquanto o tempo caminha junto de toda a preocupação de voltar pra casa... sentir o som das plantas que dançam lá fora enquanto o tempo para por dentro da casa. Exalam promessas por todos os cômodos, tais vem com cheiro de 'pra sempre' e gostinho de 'quero-mais'. Não há fome. Mas há um receio enorme de demora do regresso. Ânsia, agonia. E o tempo que há muito saiu com a preocupação, não voltará e não apressará os passos para que a noite termine e finde logo esse dia. Para que então os lábios possam se encontrar em sua menor distância novamente...


_____ brincar um pouco com as palavras pra terminar o dia de boom Humor =D

Boa Noite e Maracubeijoos . *____*

sábado, 24 de julho de 2010

Espetáculo .

Talvez coincidências não existam e o destino seja impróprio para fazer vidas perfeitas umas pras outras se cruzarem entre si. Já que a vida é tão insensível aos olhos de quem ama e tão monocromática às pessoas que sentem algo semelhante ao amor, melhor que sintamos por nós mesmos a felicidade que esperamos que o destino nos dê. Porque sua própria segurança é algo que o acaso não pode em momento algum tirar de você. E embora a vida tente produzir mera circuntância de tristeza, tal fraqueza há de ser a sua mais sútil fortaleza. Basta torná-la pouco percepitível aos expectadores, a platéia não precisa saber o segredo das suas mágicas, sejam elas sorrir quando menos precisa, surpreender quando menos se espera, dançar quando não houver música e escrever poemas quando não tiver miníma inspiração. Eis que brotam os textos mais belos de aromas agradantes cujas palavras ruflam notas que soam como orquestra à corações necessitados de seu declinío e serenidade. Se o destino pérvido não tira de você sua vara de condão, que será ele para desfazer sua vontade de buscar ser feliz? Escreva sua história pensando minuciosamente em cada trecho que você findar, pois ao seu alcance não há borracha e a platéia prepara sempre sua melhor vaia para o fim do show.

Texto tirado de um dia qualquer sem nenhum tipo de inspiração '

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Empurrando um carro =]

Porque desaastres devem ser contados, logo vindos da minha vida que mais parecem desventuras em série bem engraçadas!


Bom, mas quem nunca teve que empurrar um carro na vida?! Isso é mais que normal. Mas se fosse somente isso não seria desastre, portanto não seria MINHA VIDA.

Tudo começou ontem. Na vinda pra casa a batéria do carro do meu pai estraga. Então ele deixa o carro 'dormir' na rua até que comprasse uma bateria nova. Outro dia, novas expectativas, mudanças! Meu pai volta do trabalho com a nova bateria do carro. Desce a ruazinha para instalar a bendita, coisa que não é nada difícil, já que é só trocar a velha e colocar a nova no lugar. Qualquer pessoa que tenha carro e saiba o que é uma bateria consegue realizar este trabalho. 30 minutos depois meu pai liga e pede para meu irmão descer para dar "uma forcinha". Como boa filha, sei que meu pai não pediria ajuda á uma mulher, mas, como uma boa Técnica em Manutenção Automobilística [não sou borracheira ¬¬'] eu fui ajudar.

O fato é que quando meu pai depois de muito pesar conseguiu trocar as baterias, mas após a troca descobriu que o carro estava sem gasolina - haviam roubado - então ele voltou em casa, pegou gasolina do outro carro e (depois ter bebido metade por acidente e mal uso da mangueira) posteriormente essa transferência, ele já estava estressado o bastante a ponto de conseguir quebrar a chave na ignição ( pra quem não sabe é o buraquinho onde a coloca ;] ). Então, já desistente, ligou para o meu irmão ajudá-lo a empurrar o carro até em casa.

Chego com meu irmão mais velho e indago a seguinte cena: Meu pai puto de raiva, com cheiro de gasolina fazendo bastante força onde meu irmão mais novo dentro controlava um carro com chaves quebradas e apertava o pedal de freio!

Fiz como qualquer técnica sensata faria ao analizar essa cena. RI BASTANTE!

Após os olhos do meu pai arderem em chamas pra mim e a vermelhidão de seu rosto ficar perceptível feito larva, eu decidi parar e ocupar o lugar do meu irmã no carro. Continuei rindo lá dentro e guiando enquanto meu pai e irmãos empurravam o pobre do Zé Goiaba [sim, é apelido do carro] pela rua.

Bom, pra quem não conhece, Vicente Pires é um local nada plano, e minha casa fica bem na pontinha de uma ladeira que falta fazer 90º Graus! Tipo a casinha da colina, saca? Chegando na garagem aperto o pedal do freio enquanto meu pai e meus irmãos descansavam. E eu, a lerda, deixo a chave do portão automático da garagem cair.  Fui procurar e larguei o pedal do freio. O carro foi decaindo vagarosamente e aumentando a velocidade verozmente quase pisoteando metade da minha família que não sabiam se tentavam segurar o automóvel ou saiam correndo do que já alcançava seu 40Km/hr !

Sabe quando todos berram com você e você paraliza de susto?1 Era meu estado naquele momento! Depois de retomar ao meu estado normal eu pisei no freio, parei o carro, puxei o freio de mão e comecei a procurar o controle do portão. Acendo a luz do carro e em meio a minha busca sinto um cheiro de queimado... Olho para cima e vejo a lâmpada do carro saido fumaça.

Depois de achar as chaves e empurrarmos o carro para dentro me deparo com a seguinte cena: Meu pai morrando de raiva e com o estômago embrulhando de tanta gasolina, eu rouca e sem ar de tanto rir, meus irmãos com pernas e braços doendo e um carro com as lâmpadas queimadas, baterias mal trocadas, pouca gasolina e com a ignição quebrada.

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Nada melhor que uma sexta a noite =D

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Coisa :s

Um objeto pode ser usado e reutilizado, e ainda sim que fosse material, pode ser amado pelo dono. Uma coisa não. É algo jogado as traças sem nome, nem importância. Usado na maioria das vezes para que possam deleitar-se de seu uso e deixá-lo novamente num canto. Objetos como uma caixinha, como uma mesinha de cabiceira, como um vassoura ou qualquer que fosse tem seu objetivo, serve para algo. Já a coisa pode lhe ser util uma única vez, ou até mesmo raras vezes. Mas se fosse de mera consideração não seria apenas uma coisa, teria um nome, teria um uso, seria utilizada por mais vezes, traria lembraças em várias ocasiões. Talvez objetos façam até falta em certos momentos, dependendo do mesmo pode fazer falta em variados momentos, em muitos momentos. Mas... Quem em algum minímo espaço de tempo se lembra de uma coisa?! Está certo que em determinada circunstância, o nome do objeto pode não ser lembrado e por curtíssimo espaço ser chamado de coisa. Mas tal não perde seu nome e nem seu valor por ser chamado em mísero momento de coisa. Coisas não tem valor, nem nome.
Pode então um SER tornar uma COISA ?
Pode esse ser perder seu valor e seu nome? Pode ser tratado como algo sem crédito ou impotância?
Acredito que uma das piores sensações do mundo é a de sentir-se usado e descartado. Sim, é algo como estar triste. É sentir-se incompleto, usado. É algo meio muito monótono. É se sentir uma coisa..



Só de Sacanagem
Por: Tom Zé

Meu coração está aos pulos! Quantas vezes minha esperança será posta a prova? Por quantas provas terá ela que passar? Tudo isso que está aí no ar: malas, cuecas que voam entupidas de dinheiro. Do meu dinheiro, do nosso dinheiro que reservamos duramente pra educar os meninos mais pobres que nós, pra cuidar gratuitamente da saúde deles e dos seus pais. Esse dinheiro viaja na bagagem da impunidade e eu não posso mais. Quantas vezes, meu amigo, meu rapaz, minha confiança vai ser posta a prova? Quantas vezes minha esperança vai esperar no cais? É certo que tempos difíceis existem pra aperfeiçoar o aprendiz, mas não é certo que a mentira dos maus brasileiros venha quebrar no nosso nariz. Meu coração tá no escuro. A luz é simples, regada ao conselho simples de meu pai, minha mãe, minha avó e todos os justos que os precederam. 'Não roubarás!', 'Devolva o lápis do coleguinha', 'Esse apontador não é seu, minha filha'. Ao invés disso, tanta coisa nojenta e torpe tenho tido que escutar! Até habeas corpus preventiva, coisa da qual nunca tinha visto falar, sobre o qual minha pobre lógica ainda insiste: esse é o tipo de benefício que só ao culpado interessará! Pois bem, se mexeram comigo, com a velha e fiel fé do meu povo sofrido, então agora eu vou sacanear! Mais honesta ainda eu vou ficar! Só de sacanagem!
Dirão: 'Deixe de ser boba! Desde Cabral que aqui todo mundo rouba!
E eu vou dizer: 'Não importa! Será esse o meu carnaval! Vou confiar mais e outra vez. Eu, meu irmão, meu filho e meus amigos.'
Vamo pagar limpo a quem a gente deve e receber limpo do nosso freguês. Com o tempo, a gente consegue ser livre, ético e o escambal.
Dirão: 'É inútil! Todo mundo aqui é corrupto desde o primeiro homem que veio de Portugal!'
E eu direi: 'Não admito! Minha esperança é imortal, ouviram? Imortal!'
Sei que não dá pra mudar o começo, mas, se a gente quizer, vai dar pra mudar o final!

terça-feira, 20 de julho de 2010

- Era uma Vez ... [?]

Quem disse que no mundo em que vivemos não há princesas, não há contos de fadas, não há histórias? Talvez não exista aquele tão sonhado "felizes para sempre", Talvez os princípes não sejam mais os cavalheiros que antes eram. Talvez as princesas estejam meio desorientadas. Talvez as fadas madrinhas tenham tomado férias remuneradas sem previsão de volta...
Mas as coisas realmente não estão como nas histórias.
E se a Branca de Neve acreditou no princípe errado? Se seu cavalo branco fosse emprestado e toda a história de princípe fosse somente faixada?  E se a ajuda que ofereceu aos anões não teve retorno? Talvez eles só queriam que ela fosse embora viver com o "princípe" dela e os deixasse em paz.

E se as tranças da Rapunzel tiveram que ter um reparo? Ela deve ter tido câncer depois de ter inspirado tanta poeira  naquela torre, esperando um princípe encantado que nunca chegara.
Está em processo de quimioterapia, sozinha demais para importar-se com um bom tratamento.
Tavez naquela torre não houvesse portas escadas e somente uma janela,
mas pelo menos havia uma madrasta malvada que lhe fizesse, mesmo que desagradavel, companhia.

 E se a Cinderela tiver deixado seu princípe? Talvez se sentisse melhor com uma dose de whisk já que seu marido tinha mais preocupação em agradar outras donzelas do reino, ou cantar serviçais.
Agora vê-se num bar pelas esquinas da cidade a bela princesa, alcolatra demais para deixar seu copo. Só demais para buscar melhor ajuda.



Talvez a Bela Adormecida tenha passado a eternidade esperando o beijo de seu amor verdadeiro para acordá-la. Vai ver ele não existe, ou tenha perdido muito tempo jogando futebol ao longo de sua vida e hoje está velho demais para envolver-se à um  tão caloroso e já não pode acordar tal chama em sua amada.

E se a Chapeuzinho Vermelho tiver comido todo o lanchinho de sua avó no caminho? Talvez ela tivesse com preguiça de andar demais, tenha pairado sob uma árvore e devorado toda a cesta de café da manhã que sua mãe preparou com todo o carinho para a entrega. Talvez nem existisse o Lobo Mau, e essa fosse uma descupa para o sumiço da comida. E seu maior vilão na verdade fosse ela mesma.

E se a Bela não tivesse satisfeita com sua beleza? Talvez o fato de seu pricípe ser uma Fera a incomode bastante. Talvez ela quisesse que um homem mais bonito se apaixonasse por ela também e ela prefira ser modificada clínicamente.

E se a Pequena Sereia não tiver conseguido suas pernas humanas? Talvez o princípe com quem ela se apaixonara na terra apenas a usou para conseguir fama a colocando em um aquário para encantar criancinhas. Talvez o amor prometido a ela não seje real e ela agora esteje predestinada a passar o resto de sua vida nadando para fazer com que olhares curiosos a investiguem bem.
E se a ervilha não seje mais o único problema da Princesa dos colchões. Talvez sua vida no lixão não seja como tão perfeita como ela sonhava que seria no castelo...


Talvez o "felizes para sempre" tenha se escondido em algum canto. Talvez esteja cansado de viver em lares e corações. Talvez ele precise se alguém que o encontre e o ponha de castigo para que então ele possa começar a fazer seu trabalho novamente na vida das pessoas. Talvez a pessoa que venha o encontrar não exista, talvez o resto do mundo esteja comodo demais a essa realidade para o procurar e então espera que ele apareça. Como a mágica nos contos, que já não existe do lado de fora da capa. Talvez essa nescessidade de um motivo para que todos possam sorrir está no egoísmo de sua própria gargalhada sórdida. E seus interesses não incluem sentimentos alheios de outras pessoas. Essa falta de importância torna as pessoas tão invisíveis pra elas mesmas. Esconde tanto os problemas que nosso muno sofre.
Talvez todos estejam necessitados de um pouco de pó de Pilimpimpim que os façam voar, ou aumenos uma alma mais infântil, uma inocência de criança que se importe com as feridas do mundo...
Talvez o "felizes para Sempre" não esteja escondido, talvez ele só espere que todos o encontrem juntos...




Fotos de Dina Goldstein em seu trabalho: Fallen Princess

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Jeitoo estranho de pensar :s

Estava eu escutando uma conversa muito séria entre minha mãe e minha irmã. As duas falavam sobre casamento.
Então eu arregalei meus olhos (que já não são pequenos) de tanto susto. Caramba! é o primeiro namoro sério da minha irmã ainda :o Tá que já faz anos, que eles se amam incondicionalmente e sabem que só serão felizes se forem os dois juntos. E sério, isso é lindo *_____*
Mas e as experiências?! Mas e as boas histórias pra contar no futuro?!
Eu penso diferente de todo mundo daqui, acho que sou a ovelha negra da família :s
Haa' quero ter várias experiências e histórias pra contar. Pra que no futuro, quando minha filha tiver chorando por aquele viado do ex-namorado dela, eu possa dizer: "Minha filha, no meu trigésimo quinto namoro ele fez a mesma coisa..." e eu poderei então dar bons conselhos pra ela. Imagina, como faria isso se eu casasse com o primeiro namorado?! Que conselhos daria?! Eu quero poder ter conhecimentos diversificados no amor também. Por exemplo, eu nunca namorei um japinha, um cara que falasse outra lingua, um cadeirante... E se minha filha se apaixonar por um cadeirante?! Só vou poder falar pra ela que ele anda de cadeira de rodas?!
-Foi nesse momento que levei um tapa na cabeça da minha mãe. ¬¬'
Digamos que ela não concordou muito com tudo o que eu disse. Mas em momento algum eu disse que minhã irmã estava errada... Só acho que eu quero explorar mais o meu mundinho pra me aprimorar mais em relacionamentos também xD
haushaushaushaus


beijoos dessa louca de pensamentos dispersos e estranhoos que vos fala (:

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Por Felipe Franco ' *-*

Se eu pudesse mostrar as pessoas quem é a Stephane apelidada de Many, q até hoje não sei o porquê deste nome, devido a ela dizer que a história é muito longa, eu tentaria mostrá-la de uma forma que talvez ela mesma não se veja.
Uma visão de pessoa que não necessita de um espelho à frente de seus olhos para se reconhecer como bela, Dona de um sorriso encantador, de um olhar brilhante, de uma gargalhada sem igual, que de início parece ser um pouco rude, ou grotesco, mas que após a convivência acaba se mostrando ser uma gargalhada espetacular, única, de sensualidade especial capaz de cativar outras risadas, e cada qual com um tom diferente, um timbre distinto...
Ser Many, conhecer Many, é esperar o pelo desconhecido, nunca se sabe o que virá pela frente até que aconteça. Sempre sendo improvável, mesmo quando combinado de algum evento futuro.
Por isso, digo a você e a todos que um dia ler esta carta. Você tem o poder, a habilidade de reunir as pessoas, pelo o que você é mesmo não se mostrando o quanto é. Porém, quando a flor desabrochar, poderá tomar a atenção dos olhos de todo o mundo sobre suas pétalas.


Por: Felipe Franco

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Apaixone-se *______*



video



Texto feito na aula de fisíca :x
Acho impressionante o quanto a vida pode ser perfeita e detalhada, e se ramificada em cada detalhe, torna-se altamente atraente aos olhos de quem a vive *______* Você viver os momentos bons de sua vida não quer dizer esquecer os tempos que já se passaram, talvez até você mesmo queira deixá-los de lado. Querendo ou não querendo, mais cedo ou mais tarde, todas as memórias voltam e se você não tiver criado uma base e aprendido com elas, elas irão derrubar você. Eminente desperdício pensarmos na vida como se fosse um desperdício, chorar rios e mares quando na verdade você poderia estar rido bobagens. Não há nada melhor e mais reconfortante do que valorizar a ligação daquele seu amigo meio bobo, mesmo sendo aquele dia triste onde a única ligação que queria era a de outra pessoa, mesmo estando a duas horas na parada de ônibus. Não tem coisa mais alegre que viver cada dia como se fosse o último, cada momento como se fosse próspero e cada acontecimento como se dependesse de uma gargalhada para melhorar. Se cada mínimo detalhe for valorizado admiravelmente e vivido intensamente, o próximo será ainda melhor.
"Por isso dance, dance como se ninguém estivesse vendo você, trabalhe como se não precisasse de dinheiro, corra como se não houvesse a chegada, ame como se nunca tivesse sido magoado antes, acredite como se não houvesse frustração, grite como se ninguém estivesse ouvindo, beije como se fosse eterno, sorria como se não existisse lágrimas, abrace como se fosse todos amigos, durma como se não houvesse amanhã, crie como se não existisse crítica, vá como se não precisasse voltar, acorde como se nunca mais você fosse dormir de novo, faça a próxima viagem como se fosse à última, vista-se com se não conhecesse espelhos, proponha como se não existisse as recusas, brinque como se não estivesse crescido, levante como se não tivesse caído, case como se não houvesse outra, mergulhe como se não houvesse medo, ouça como se não existisse o certo ou errado, fale como se não existisse o certo ou o errado, aprecie como se fosse eterno, viva como se não houvesse fim, prefira ser em vez de ter, sentir em vez de fingir, andar em vez de parar, ver em vez de esconder, abrir em vez de fechar [...]".
Cada mínimo detalhe é crucial para a formação da sua felicidade. É algo que está sendo plantado para seu próprio sustento e uso, por isso sua semeação é importante. Faça com que sua vida valha à pena e viva-a com júbilo e prazer :D

"Legal ficar sorrindo a toa,
sorrir pra qualquer pessoa
Andar sem rumo na rua" ♪